CIRURGIA GERAL E DO APARELHO DIGESTIVO - PÂNCREAS

NEOPLASIAS

O câncer de pâncreas mais comum é do tipo adenocarcinoma (que se origina no tecido glandular), correspondendo a 90% dos casos diagnosticados. A maioria dos casos afeta o lado direito do órgão (a cabeça). As outras partes do pâncreas são corpo (centro) e cauda (lado esquerdo).

Pelo fato de ser de difícil detecção e ter comportamento agressivo, o câncer de pâncreas apresenta alta taxa de mortalidade, por conta do diagnóstico tardio. No Brasil, é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de mortes causadas pela doença.

Raro antes dos 30 anos, torna-se mais comum a partir dos 60. Segundo a União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), os casos de câncer de pâncreas aumentam com o avanço da idade. A incidência é mais significativa no sexo masculino.

O que aumenta o risco?

Podemos identificar fatores de risco hereditários e não hereditários para o desenvolvimento do câncer de pâncreas. A menor parcela, algo em torno de 10% a 15% dos casos, decorre de fatores de risco hereditários. Dentre esses podemos destacar as síndromes de predisposição genética com associação ao câncer de pâncreas como:

  • Câncer de mama e de ovário hereditários associados aos genes BRCA1, BRCA2 e PALB2
  • Síndrome de Peutz-Jeghers
  • Síndrome de pancreatite hereditária

Dentre os fatores de risco não hereditários, temos:

  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Inatividade física
  • Diabetes mellitus
  • Pancreatite crônica não hereditária.

Os fatores de risco não hereditários são passíveis de modificação, pois relacionam-se, em grande parte, ao estilo de vida.

Exposição a solventes, tetracloroetileno, estireno, cloreto de vinila, epicloridrina, HPA e agrotóxicos apresentam associações com o câncer de pâncreas. Os agricultores, os trabalhadores de manutenção predial e da indústria de petróleo são os grupos de maior exposição a estas substâncias e apresentam risco aumentado de desenvolvimento da doença.

Os sinais e sintomas mais comuns do câncer de pâncreas são:


Fraqueza, perda de peso, falta de apetite, dor abdominal, urina escura, olhos e pele de cor amarela, náuseas e dores nas costas. Essa variedade de sinais e sintomas não são específicos do câncer de pâncreas, e esse é um dos fatores que colabora para o diagnóstico tardio da doença. 

Vale chamar atenção para o diabetes, que tanto pode ser um fator de risco para o câncer de pâncreas, como uma manifestação clínica que antecede o diagnóstico da neoplasia. Assim, o surgimento recente de diabetes em adultos pode ser uma eventual antecipação do diagnóstico do câncer pancreático. Estudos revelam que nos pacientes com câncer de pâncreas e diabetes, o diagnóstico do diabetes ocorre dentro dos 24 meses anteriores ao diagnóstico da neoplasia entre 74% a 88% dos pacientes.

Fonte: INCA

Clinica Digest Care
  • Balneário Camboriú
    Avenida do Estado, 1535 – Sala 03 – Pioneiros

    Balneário Camboriú – SC, 88331-150
    Telefone: (47) 3081-2200
    WhatsApp: (47) 99689-0151
  • Itajaí
    Embraed Centro Empresarial

    Avenida Coronel Marcos Konder, 1207, salas 60/61 – Centro
    Itajaí – SC, 88301-200
    Telefone: (47) 3246-1500
    WhatsApp: (47) 99689-0035
  • contato@digestcare.com.br